Você já deve se perguntado isso, né? A maioria dos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e outros profissionais de saúde tem ao menos dois empregos, com uma carga horária mínima de 13 – 14 horas por dia, sem contar o tempo perdido entre um e outro.

Talvez a resposta seja: para quitar o financiamento da casa, do carro, para poder viajar ao menos uma vez por ano para o exterior, para pagar boas escolas para meus filhos, e por aí vai.

Também já trabalhei assim, para pagar a faculdade dos três filhos (sim, os três estavam cursando a faculdade ao mesmo tempo). Trabalhava 12 horas por dia, às vezes até 20 dias sem folgar. Dificilmente algum de nós trabalharia tanto, deixando de conviver com os filhos, o(a) companheiro(a), de se divertir, simplesmente por prazer ou amor.

Nesta fase eu tinha meus pais vivos, ambos já debilitados, precisando muito de minha presença. Muito mais do que de meu dinheiro. Então tem que fazer sentido estas escolhas que fazemos. Ou será que você está no automático?

Isso só faz sentido se está vinculado a algo muito maior, que é nossa missão de vida. Por exemplo, minha primeira missão sempre foi Ser Mãe. Portanto, nesta fase e por um curto período fez sentido.

Por falar em missão, você sabe qual é sua missão? O que é missão? Missão é aquilo pelo quê você vive, o motivo pelo qual você acorda todos os dias. Se este motivo for simplesmente comprar uma casa, ou trocar de carro, será que é o suficiente para você levantar todos os dias?

Missão é aquilo pelo que você quer ser lembrado quando for velhinho(a), que tenha orgulho de contar para seus netos e filhos que você realizou durante a sua vida.

Por que estou falando isto? Após 36 anos na enfermagem, convivendo com muitos profissionais de saúde, vejo que caímos, muito frequentemente, na armadilha do Ter. O mundo tem levado você a acreditar que para ser feliz você precisa ter.

Mas sua satisfação em adquirir coisas é de certa forma superficial e passageira. Permanece oculto internamente um sentimento profundo de insatisfação. Isto leva você a querer mais. Portanto, o querer ter o mantém vivo muito mais do que o querer ser. E assim, a satisfação superficial de ter é substituída pelo querer ter mais. E daí você trabalha mais, mais e mais. E até esquece o porquê.

Lembre-se que sucesso sem felicidade vira fracasso. Você é capaz de definir o que é sucesso para você? Tente e verifique se está caminhando em direção à sua definição de sucesso. Por exemplo, adquirir estabilidade financeira e acabar com seu relacionamento é sucesso? Trabalhar muito, dar do bom e do melhor para seus filhos, mas não vê-los crescer é sucesso para você? Como adquirir este equilíbrio?

Parece confuso? Talvez. Mas te convido a fazer esta reflexão – qual a sua missão? Pelo que você quer ser lembrado? O que você queria mesmo quando escolheu esta profissão? O que, ou quem você é? Por acaso você é aquilo que as pessoas dizem que você é? Ou, apesar do que dizem, você sabe quem você é?

Desejo que você comece a SER o que você quer ser, por meio do despertar de uma nova consciência. O coaching é um processo que pode lhe ajudar nesta jornada de descoberta e autoconhecimento. Sei disso pois foi através do coaching que descobri o que queria ser após encerrar o ciclo na enfermagem. Ser coach para mim e poder continuar ajudando as pessoas foi como renascer. Convido você a fazer esta viagem comigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias