idoso

Afinal, ser idoso é um sentimento, ou é uma questão de cronologia?

Vamos ver os 2 aspectos. Cronologicamente, em nossa cultura, após os 60 anos somos considerados idosos. Quando morei em São Caetano do Sul, a prefeitura considerava idoso acima de 50 anos, para fins de direitos junto aos programas sociais da prefeitura. Na ocasião, eu tinha 53 anos e participava de várias atividades destinadas aos “idosos”. Portanto, se não morrermos antes disso, não é opcional.

Por outro lado, se sentir idoso é se sentir cansado, dolorido, tanto no corpo como na alma. É sentir que mais da metade da sua vida já foi. Ou seja, olhar para a metade do copo cheio. Se sentir idoso é sentir que já não pode fazer planos ou ter projetos.

Pense, que histórias você ainda quer contar? Talvez você, assim como eu, tenha encerrado um ciclo, ou uma fase em sua vida – talvez tenha casado, tido filhos, trabalhado muito (e muitas vezes em uma profissão que escolheram para você), construído uma casa (ou comprado um apartamento), os filhos já saíram de casa (assim espero, se forem saudáveis)….. e agora?

Agora é a sua vez. Tenha um novo projeto.

Agora é a hora de fazer por você o que não conseguiu fazer até então. A vida continua, o tempo não para, e você, vai ficar parado?

Você sabia que esta opção – ficar parado – não existe? Ou vamos para a frente (para a vida), ou para trás (para a morte). Portanto, se você decidir estacionar, achando que já fez tudo que tinha para fazer, está na hora de engatar a primeira marcha e traçar um novo trajeto.

Pegue um livro em branco e comece a escrever a nova fase de sua vida. O que você deseja para você, exatamente agora, aos 50 ou mais anos?

A maturidade nos traz liberdade.

Assim que fiz sessenta anos, fiz meu credenciamento junto à prefeitura como “idoso”. Como em todas as idades, faço questão de usufruir de todos os direitos que tenho em cada fase.

Me considero uma eterna aprendiz. Me sinto deslumbrada com cada possibilidade que o Universo me apresenta. Sou um receptáculo aberto para receber todas as bênçãos que o Universo tem para me dar. Nada como ser uma aprendiz com a maturidade que tenho hoje. E a maturidade nos traz liberdade. Liberdade de fazer escolhas. Liberdade para viver e não apenas sobreviver.

Após os 56 anos, após 35 anos como enfermeira, descobri a PNL, o Coaching, o Reiki, o Ho’oponopono, a Terapia Vibracional, a Física Quântica, a Constelação Familiar e a Psicanálise. E não parei ainda, rsss…. Me sinto fascinada por tantas oportunidades de contribuir com o outro. Pois tudo que aprendo eu compartilho com as pessoas que tenho a oportunidade de cuidar como terapeuta.

Se tenho limitações? Sim, lógico. Não tenho a mesma disposição nem agilidade de 10 anos atrás. Nem os mesmos cabelos e nem a mesma pele, rsss… Mas sinceramente, está tudo bem. Uso cremes apropriados, me cuido, me exercito (dentro dos meus limites) e aceito todas as minhas limitações.

Idoso: a vantagem de viver intensamente o presente

Outra vantagem da idade: viver intensamente o presente. Os problemas que eram enormes, se tornam insignificantes, pois aprendemos a valorizar o hoje, o que realmente importa. Eu poderia falar de muitas outras coisas que me inspiram nesta fase da vida, mas este artigo ficaria muito longo.

Se você se encontra nesta fase da vida, buscando um novo sentido para continuar, além de “sobreviver”, espero que este artigo possa lhe ajudar e quem sabe lhe inspirar. Mas, como eu sempre digo, você não precisa acreditar em nada do que eu falo. Teste você mesmo. Experimente!

E se nada disso ajudar, deixo-lhe a frase de Charles Saint-Beuve: “Envelhecer ainda é a única maneira que se descobriu de viver muito tempo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *